quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Um poeta de metrô...


Juro que a primeira pessoa que lembrei foi de Ana Cristina Cesar (1) que começou seu breve porém marcante percurso na poesia brasileira vendendo impressos, então “mimeografados” nos bares da vida.
Mas encontrei Lucas C. Lisboa num vagão de metrô já meio vazio, tipo 10 e meia da noite vendendo seus livretos xerografados com oito páginas (incluindo capa e contra capa).  Chamaram-me a atenção o fato dele ser mineiro de Beagá e citar Marcuse, o mais novo da Escola de Frankfurt (2) de quem sou admirador incondicional.
Consegui bater um papo com ele sobre o seu trabalhoe Marcuse, sabendo na ocasião, ser blogueiro e estar no FaceBook.

1. Leia em “Viajando com Ana Cristina Cesar” publicado neste blogue em 20/11/2008.
http://novaspensatas.blogspot.com/2008/11/viajando-com-ana-cristina-csar.html

2. A “Escola de Frankfurt” (Frankfurter Schule) foi o movimento mais importante da esquerda Materialista Histórica no Século XX, e, ao lado de Trotsky opôs-se ao “mecanicismo vulgar” do pensamento de Marx, proposto pelo stalinismo. Participarem desta corrente, Max Horkheimer, Theodor Adorno, Walter Benjamin, Erich Fromm e Herbert Marcuse entre outros que estiveram no “Instituto para Pesquisa Social de Frankfurt” (Institut für Sozialforschung) fundado por Carl Grünberg em 1923, como um anexo da Universidade de Frankfurt.

8 comentários:

André Setaro disse...

O 'post' me fez lembrar os cordelistas do Nordeste e, principalmente, os da Bahia, como Cuíca de Santo Amaro, que satirizava a vida e a sociedade soteropolitana por meios de seus cordéis.

Com o advento do império audiovisual, poucas as pessoas que se dedicam à expressão do pensamento e das ideias pela literatura. Nos meus lúdicos tempos de juventude, muitos queriam ser poetas, escritores, e publicavam seus textos, mão em mão, através da impressão pelo superado mimeógrafo a álcool tinta azul. E se sentiam felizes por isso.

Jonga Olivieri disse...

Foi o caso da Ana Cristina César, que eu tive a honra de conhecer porque era amiga da Pat, prima da Vi.
E não somente pela sua poesia. Ana Crisitna foi uma das mulheres mais bonitas que conheci na vida.
Seus olhos... Ah, seus olhos!
Leia “Viajando com Ana Cristina Cesar” publicado neste em 20/11/2008. É fácillocalizar e você vai achar interessante.

Joelma disse...

Gostei do poeta, porque gosto de gente que trabalha e cria.
Que tenha futuro!

Jonga Olivieri disse...

I hope so!

Lucas Lisboa disse...

Obrigado pelos elogios! Obrigado pelos votos de sucesso.
Eu levo a poesia sobre trilhos para que mais e mais leitores possam ter o prazer de ler poesia!
Ali dentro eu consigo derrotar por alguns instantes todo o império da industria cultural.
Ali no meio do tédio da viagem onde nem o rádio, cinema ou tevê alcançam levo a poesia.
Desperto leitores adormecidos em seu sono literário, levo quem não lia a ler novamente.
São oito edições desse livreto cuja tiragem mínima são mil exemplares que estão rodando pelo Rio e por BH.
Ser lido é bom, mas despertar leitores é o que me dá maior prazer!

Jonga Olivieri disse...

Grande Poeta que aparece e fala, e diz...
Vou no seu blogue tambem, caro Lucas. E "vamuquivamu" tentar melhorar este mundo... Porque tempo para isso ainda há.
Cada vez menos,mas ainda existe a possibilidade!

Lucas Lisboa disse...

"A mente que se abre a uma nova idéia jamais volta ao seu tamanho original"
Cada leitor meu que volta a imaginar graças a minha poesia é uma vitória. Mentes adormecidas são acríticas, aceitam tudo que escutam e vêem sem crítica, uma mente que imagina o fantástico também é capaz de imaginar que é mentira o que se diz na televisão.

Jonga Olivieri disse...

... Porque pensar nos leva a refletir, concluir, protestar e principalmente nso acender a "chama" de que o mundo pode melhorar!
E isto o "autoridades (in)competentes" justament não querem.