quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Senadores deverão votar hoje texto substitutivo do Código Florestal


Transcrito do jornal “Brasil de Fato” http://www.brasildefato.com.br/

“Organizações sociais realizaram Ato com 1,5 milhões de assinaturas contra o novo o Código Florestal.

O novo Código Florestal deverá ir à votação no plenário do Senado Federal nesta quarta feira (30). Os senadores concordaram em atender ao pedido de urgência para votação do novo Código Florestal, aprovado pela Comissão de Meio Ambiente do Senado na última quinta feira (24).
O texto substitutivo (PL 30/2010) ao Código Florestal, de autoria do deputado Aldo Rebelo (PcdoB), foi aprovado pelas Comissões de Constituição e Justiça (CCJ), Ciência e Tecnologia (CCT), Agricultura e Reforma Agrária (CRA) e Meio Ambiente (CMA) do Senado. Se aprovado no Plenário da Casa, deverá retornar à Câmara dos Deputados, onde já foi aprovado, e depois será encaminhado à sanção presidencial.
Na manhã desta terça-feira (29), o Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável, que reúne 200 organizações sociais, realizou o Ato em Defesa das Florestas em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília (DF). De acordo com o Comitê, com a ação buscou-se “chamar a atenção, em especial da presidenta (sic), para a ameaça que paira sobre as florestas com as medidas aprovadas no texto do Código Florestal e que podem colocar em risco grandes áreas de floresta em todos os biomas brasileiros”.
As organizações se manterão em vigília em frente ao Pálacio do Planalto durante todo o dia. A finalidade é conseguir entregar 1,5 milhão de assinaturas contra as alterações do Código Florestal à presidenta Dilma Rousseff e ao presidente do Senado, José Sarney. As assinaturas foram colhidas ao longo de quatro meses pelo Comitê e através de uma petição on-line da organização Avaaz.
O Ato em Defesa das Florestas reuniu movimentos sociais, estudantes, artistas, formadores de opinião, defensores em geral da causa ambiental, além de representantes das organizações: CNBB, Greenpeace, IDS, ISA, FBOMS, Fórum de Ex-ministros do Meio Ambiente, FETRAF, Nucleos Universitários, SOS Mata Atlântica, Via Campesina e WWF.”

Precisamos salvar nossas florestas... E a vida no planeta!

Reprodução de foto publicada na Avaaz
Assinei a mensagem abaixo que está sendo enviada, à presidente Dilma Rousseff, como parte de uma campanha da Avaaz, porque nesta semana a presidente pode assinar, aprovando o “Novo Código Florestal” que pode colocar a Amazônia em grande perigo.
Ativistas ambientais têm sido assassinados constantemente, e os “ruralistas” no Congresso estão fazendo uma campanha para que se sacrifique m as nossas florestas. O futuro da Amazônia está na ponta da caneta da presidente. Somente uma pressão massiva do público pode fazer com que se protejam nossas florestas e se rejeite uma política de intimidação.
Assine acessando:
 

Íntegra da carta/apelo da Avaaz a Dilma Roussef:

Cara Presidente Dilma Rousseff,
Peço-lhe que V. Sa. tome medidas imediatas para salvar as preciosas florestas do Brasil vetando as mudanças ao Código Florestal. Eu clamo à V. Sa. que previna os assassinatos de ativistas ambientais e trabalhadores, aumentando a aplicação da lei contra madeireiros ilegais e intensificando a proteção para pessoas que correm risco de violência ou morte. Mais de 1.250.000 pessoas em todo o mundo apelaram para que V. Sa. salve a Amazônia e seja uma liderança internacional em relação ao meio ambiente -- somente sua forte ação agora vai garantir a segurança do planeta para futuras gerações.
(assinatura)

Post scriptum: Uma manobra regimental do PSOL (Partido Socialismo e Liberdade) http://psol50.org.br/ impediu nesta terça-feira (29) a votação do requerimento do pedido de urgência para análise do projeto de lei que reforma o Código Florestal no Senado. Com isso, a votação do texto ainda hoje no plenário, como estava previsto, ainda é dúvida.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Criatividade com simplicidade. Capítulo / Olivetto



A postagem abaixo foi publicada ontem no meu blogue “Casos” da Propaganda (http://jongaoliva.blogspot.com/), mais antigo do que este (ver lista ao lado), e que surgiu de uma trajetória de mais 40 anos de trabalho em publicidade, no qual conto “casos” –na maioria das vezes engraçados– acontecidos em mais de 20 agências em que trabalhei.

A publicidade brasileira no final dos anos 1960 e início dos 70 despontou como uma das mais criativas do mundo. E quando digo “despontou” é porque até então, por exemplo, los Hermanos, aqui ao nosso lado tinham uma qualidade muito superior à nossa, tanto que havia uma grande quantidade de criativos argentinos em nossas agências nos ensinando o “caminho das pedras”. No meu caso quando comecei a fazer estágio em propaganda (1964) havia o diretor de criação e um diretor de arte portenhos na equipe.
Antes de mais nada fundaram-se na ocasião agências nacionais de qualidade como por exemplo a DPZ (1), a Denison, a Norton e a JMM (2), num mercado até então dominado pelas multinacionais como a Thompson , a McCann e a Lintas. Surgiu tambem uma geração composta de redatores e diretores de arte do nível de Washington Olivetto, Neil Ferreira, Mauro Matos, Jarbas de Souza, Celso Japiassú, Carlos Pedrosa, Francesc Petit, somente para citar os que me vieram à cabeça (3) de imediato e não ficar aqui fazendo uma relação interminável.

Mas principalmente na mídia eletrônica o salto foi ainda maior. Lembro que quando entrei na McCann-Erickson o comentário geral dos gringos era de que precisávamos aprimorar a nossa produção neste particular. Em poucos anos demos um verdadeiro salto. Talvez fruto de nossa cultura multiracial (4), alcançamos em muito pouco tempo um patamar mais elevado.

Tanto que o comercial da Seagram com o garoto sorrindo (vídeo acima), foi criado em 1973. Computador nesta época? Nem pensar! Computadores eram aquelas máquinas esquisitas e enormes com rolos e cartões perfurados que serviam para outras finalidades que não fossem publicidade. As “trucas” eram na câmera (slow e fast motions) ou no retoque quadro a quadro.
A criação foi de Washington Olivetto, ainda nos seus tempos de DPZ. E este filme é um outro exemplo de “criatividade + simplicidade = genialidade”.

1. A DPZ, começou como um estúdio, quase uma butique de criação chamado “Metro 3”, já composto por Duailibi, Petit e Zaragoza.
2. A JMM que vêm a ser as iniciais de João Moacir de Medeiros, seu fundador, iniciou suas atividades em 1950 e foi uma das agências mais criativas do país. Criou campanhas inovadors e inesquecíveis para o Banco Nacional e também atendeu outra das maiores contas nacionais, a Lopes Sá, à época a principal concorrente da Souza Cruz no mercado de cigarros.
3. Fico até emocionado, quando me lembro dos profissionais que conheci e me ensinaram tanto, numa época em que um diretor de arte tinha muita coisa a aprender. Prometo a eles, os vivos e os mortos, que um dia vou fazer uma lista e publicar neste blogue...
4. Sempre defendo que isto é um fator que nos eleva, porque sou de uma geração em que havia um “racismo” oculto e hipócrita que afirmava o contrário. Outrossim, neste mesmo período surgiram intelectuais tupiniquins a defender esta miscigenação como o Dr. Antônio da Silva Melo que publicou –entre outros o livro– “A superioridade do homem tropical” (1967) ou Celso Furtado, economista e um dos destacados pensadores brasileiros do século 20.

domingo, 27 de novembro de 2011

“Drops” sortidos de domingo


O slogan "A TV que mais cresce no Brasil" não está acompanhando a RedeTV! (em novembro). Até o dia 17 deste mês, a emissora tem disputado com a TV Cultura o quinto lugar no Ibope da Grande São Paulo (1), atrás de Globo, Record, SBT e Band. Com médias diárias que dificilmente ultrapassam os dois pontos, a RedeTV! empatou ou perdeu para a TV Cultura em pelo menos cinco dias. O cenário mais grave foi em 3 de novembro, quando o canal de Amílcare Davello e Marcelo Carvalho teve seu pior desempenho nas 24 horas dos dia: apenas 0,8 ponto, contra 1,1 da emissora pública. Até a reprise do "Pânico" perde para atrações de outros canais.

Segundo o jornal Destak, de distribuição gratuita no Rio de Janeiro, o “índice Gisele Bundchen” rende mais que a Bolsa de Nova Iorque. E fornecendo números, enquanto o desempenho das empresas representas pela top model brasileira subiu 41% entre janeiro de 2007 e setembro de 2011, o índice Dow Jones caiu 4% no mesmo período.

O ex-governador José Serra apresentou à direção do PSDB o diagnóstico de que o partido não tem candidato viável para disputar a Prefeitura de São Paulo nas eleições do próximo ano e deveria apoiar o vice-governador Guilherme Afif, filiado ao PSD, informa reportagem de Daniela Lima e Vera Magalhães, publicada na Folha desta quarta feira.

Andressa Soares, 23 (a Mulher Melancia), passou por um susto depois de um show em São Paulo. Segundo a coluna Olá, assinada por Janaína Nunes e publicada no jornal Agora, um fã abraçou a “funkeira” e acabou rompendo os pontos da cirurgia de mudança das próteses de silicone. No entanto, Andressa não vai precisar ser operada novamente e deve voltar aos palcos neste fim de semana.

Vi outro dia num jornal online, uma imagem de Paris se arrumando para a “festa romana” do Natal (2). Estão uma beleza as luzes da “Cidade Luz”... Ver foto acima da belíssima Avenida dos Champs Elíisées. Paris é, sempre foi, e sempre será uma festa!

Notícia no blogue do Metrô Rio: “a semana passada, uma equipe do Metrô Rio viajou a Changchun, China, para aprovar a maquete (3) com todas as especificações do projeto dos novos trens. O fornecedor, Changchun Railway Vehicles, responsável pela produção, apresentou à concessionária a réplica da composição em tamanho natural.”
E dizer que as 19 composições estavam previstas para entrar em circulação em 2010! Enquanto isto sofremos com a super lotação pela redução de um vagão nas composições (nas horas de pique)... As novas composições circularão na Linha 2, pelo menos é o que anuncia a Opportrans (4).

Tom Cavalcante não sabe se estará na TV em 2012, mas seus planos incluem um longa-metragem, turnês e férias em Las Vegas e Fortaleza, de onde surgiu para a fama. O apresentador e humorista ironizou os rumores de que estaria negociando com SBT, Band e até o Corinthians. "E se eu for para fazer um trio com Adriano e Liedson? Quando de fato acontecer alguma novidade, minha assessoria vai veicular.

Estudantes da USP fizeram um novo protesto, na última quinta feira, em São Paulo. Os estudantes da USP estão em greve desde o dia oito de novembro, em resposta à prisão de 72 manifestantes que ocupavam a reitoria da instituição desde o dia 02/11/11. Com gritos como "USP sim, polícia não" e "Pula, sai do chão, quem é contra a repressão", os estudantes protestaram contra a presença da Polícia Militar no campus da universidade, por um projeto alternativo de segurança e pela saída do reitor João Grandino Rodas.

Conhecido por suas declarações preconceituosas contra negros e homossexuais, o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) protagonizou nesta quinta feira (24) mais um discurso polêmico na tribuna da Câmara.
Durante a manhã, quando protestava contra a campanha elaborada pelo governo para combater o preconceito contra homossexuais nas escolas, em especial a divulgação de um "kit anti homofobia" elaborado pelo Ministério da Educação, Bolsonaro afirmou que a presidente Dilma Rousseff deveria logo "assumir" se o seu negócio é o "amor homossexual".
Eu, hein!

O mercado de trabalho tornou-se um foco de doenças como depressão e estresse. A tendência já se reflete em forte aumento no número de brasileiros afastados pelo INSS por esse tipo de problema de saúde, informou reportagem de Érica Fraga e Venscelau Borlina Filho publicada na Folha Online de ontem.

Segundo li no último dia 24 na Folha Online, "Letícia Fernandez", reparou que estava transando com dois homens por semana. Era fevereiro: naquele ritmo, alcançaria 96 por ano. Como 96 é quase cem, criou o blog “Cem Homens” para compartilhar sua promessa de transar com a maior quantidade possível de parceiros em 2011.
O número redondo e o trocadilho (“cem” e “sem”) chamam atenção, mas ela garante que “nunca se obrigou a transar só para atualizar a publicação”. Letícia é jornalista e usa pseudônimo para não prejudicar a sua trajetória profissional.
Ela parou de contar lá pelo trigésimo e agora, publica os casos, mas não diz quando foi e nem em quantos anda a sua contagem.

Um ataque aéreo das forças da OTAN mobilizadas no Afeganistão matou 20 soldados do Paquistão nesta sexta-feira na fronteira entre os dois países, denunciou uma fonte militar paquistanesa.
As Forças Armadas do Paquistão confirmam o ataque em mensagem transmitida à imprensa, embora sem detalhar o número de vítimas. Segundo a nota, helicópteros da OTAN, sem terem recebido provocação, dispararam contra um posto de controle paquistanês na região tribal de Mohmand, na fronteira com o Afeganistão.
Enquanto isso, o balanço de mortes das forças invasoras no Afeganistão encontra-se da seguinte forma até este sábado (25/11): estadunidenses: 399; britânicos: 41; outros: 94, num total de 534. Confira e acompanhe no site http://www.icasualties.org/

O “Avaaz” (veja link na coluna ao lado) enviou um comunicadoem que diz, entre outra coisas: “O movimento ‘ocupa’ está pegando fogo em todo o mundo e alcançou uma mudança radical na maneira como pensamos nossa política. Nesse momento o mundo se pergunta: como o movimento pode conseguir uma vitória?

De Nova Iorque a Londres, políticos e polícia foram comprados para proteger os interesses corporativos. Eles estão forçando a expulsão dos manifestantes pacíficos de espaços públicos e desacreditando o movimento na mídia dizendo que são ‘hippies sujos’ e ‘criminosos violentos’ sem uma agenda clara...
... Agora é tudo ou nada! Vamos ajudar o movimento a alcançar uma vitória financiando uma pesquisa de opinião global em dezenas de países que mostra claramente que este não é um movimento marginal que pode ser esmagado, mas um projeto político com um apoio maciço.

A pesquisa irá turbinar o movimento e oferecer tanto uma visão de união quanto a de massiva legitimidade necessárias para assumir e derrubar o sistema que alimenta os 1%. A necessidade é urgente - se 10.000 de nós doarmos uma pequena quantidade agora, teremos o suficiente para executar esta pesquisa na próxima semana e levar esta batalha para o próximo nível:
https://secure.avaaz.org/po/fund_the_99_poll/?vl
Participem! É só acessar no link acima...

Filho e sobrinho de músicos, o estadunidense Salaam Remi já era um produtor de canções de sucesso no hip-hop quando, em 2002, seus caminhos se cruzaram com os de uma cantora londrina de 18 anos de idade. Coube a ele, junto a Mark Ronson (também produtor de "Back to black") e à família de Amy selecionar as 12 faixas de "Lioness: hidden treasures", disco póstumo que chega às lojas (do Brasil, inclusive, pela gravadora Universal), agora no dia 5 de dezembro.

1. Fonte: colunistas - alberto pereira jr

2. Esta festa de Natal, tal e qual é comemorada não tem nada a ver com o nascimento de Cristo... Trata-se de resquícios de festas pagãs comemoradas em Roma em que se trocavam presentes. A mais famosa delas em honra ao nascimento do deus Sol, teve origem na festa de “Brumália” (25 de dezembro) –que seguia a “Saturnália” (17 a 24 de dezembro) –, comemoração originada na Babilônia, que comemorava o nascimento do deus Sol, no dia mais curto do ano. Para resumir, no período de Constantino, o primeiro Imperador “romano cristão” foi introduzida como um “suposto” dia do nascimento de Cristo.

3. E dizer que as 19 novas composições previstas haviam sido prometidas para começar a operar ainda em 2010! Será que estarão nos trilhos em 2012?

4. Opportrans é uma empresa de propriedade de Daniel Dantas, dono do Banco Opportunity, que esteve envolvido em escândalos no mercado financeiro. Ver mais informações sobre o caso em:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Banco_Opportunity
Desde abril de 1998, com a concessão, a administração, a operação das linhas e estações ficaram a encargo do Consórcio Opportrans (Metrô Rio), concessionário pelo período de 20 anos. No final de dezembro de 2007, a concessão foi renovada até 2038... Coisas de governos e governantes corruptos. Como é que se renova um contrato por 30 anos?

sábado, 26 de novembro de 2011

Entre ilhas e peles...


“Dawson Ilha 10” (Dawson Isla 10), o aguardado filme de Miguel Littin, finalmente estreou (1) no dia 25 (sexta feira), e conta a história do golpe de 11 de setembro de 1973, quando o general Augusto Pinochet liderou a deposição do governo democrático do socialista Salvador Allende.
Naquela ocasião as autoridades depostas tornaram-se presos políticos dos militares, e foram levados para uma afastada ilha (Dawson), na Patagônia chilena, utilizada como campo de concentração da sanguinária ditadura chilena. Ali os prisioneiros foram submetidos a violentos interrogatórios, trabalhos forçados, torturas físicas e psicológicas. O que ocorreu em Dawson representa um momento histórico dos golpes militares financiados pelo imperialismo no continente, especialmente no chamado “Cone Sul” da América.
Queria muito ter visto este filme ontem, pois o aguardava com grande expectativa. No entanto, o fato de não ter assistido ainda à exibição de “A pele que habito” (La piel que habito) a última incursão de Pedro Almodóvar (2011), fez-me optar por esta realização pelo fato de estar por mais tempo em cartaz.
Do primeiro não posso falar por ainda não ter visto, porem do segundo, só posso tecer elogios... Os mais entusiasmados possíveis. Almodóvar provou mais uma vez a sua genialidade, tanto temática quanto visual num verdadeiro show de conhecimento da linguagem cinematográfica e da habilidade de transformar “tragédia em comédia”, tal e qual o fez em “Volver” (Volver), produção de 2006, para citar apenas um.
Baseado no romance "Tarantula" (publicado em 1995), do escritor francês Thierry Jonquet, o reaIizador espanhol aborda o tema da manipulação genética através de um eletrizante thriller de suspense e/ou terror marcado pelos sentimentos dominantes e mais intensos na sua obra: paixão, desejo e vingança, numa “viagem bichalouquérrima” e apoteótica das relações humanas, ao mesclar amor e ódio, criador e criatura em um extremo alucinatório.
A obra é de um crescendo surpreendente, com flashbacks inseridos em flashbacks e um final surpreendente! Tão surpreendente quanto a semelhança fisionômica entre Penélope Cruz e Elena Anaya, e com a presença marcante do --sempre excepcional-- Antonio Banderas, mais uma vez no elenco do diretor.
Um filme imperdível!

1. Pequeno detalhe: "Dawson Ilha 10"  foi lançado em apenas dois cinemas no Rio de Janeiro... E garanto que vai ficar apenas uma semana!

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

O Socialismo nunca foi posto em prática

A capa do livro

Transcrevo abaixo a entrevista em que o Doutor em História Econômica Robério Paulino diz que a teoria Socialista de Karl Marx nunca pôde ser implementada, e que o despotismo Stalinista desmoralizou o verdadeiro Socialismo. A matéria foi publicada no site Controvérsias e é assinada por Roberto Lopes.

Economista formado pela Universidade de São Paulo - e doutor em História Econômica pela mesma universidade -, o professor do Departamento de Gestão de Políticas Públicas da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Robério Paulino se apresenta como um marxista convicto. Mas nem por isso defende o sucesso do enunciado socialista de seu ídolo, Karl Marx.
Autor de um livro chamado "Socialismo no Século XX. O que deu errado?" (Ed. Letras do Brasil) - já na sua 2ª edição -, ele chega a afirmar que interpretações personalistas do Marxismo, que desvirtuaram uma experiência que poderia ser extraordinariamente benéfica à sociedade.
Mas o que parece irritar Paulino é a manipulação do Socialismo por diferentes lideranças russas: "Stálin foi um déspota", observa ele, "e quando em Praga a Esquerda checa tentou renovar o Socialismo, veja o que Moscou fez: mandou seus tanques de guerra esmagarem aquelas ideias".
Paulino investigou as razões que conduziram ao colapso da URSS, e as consequências deste fenômeno para a nova ordem internacional e, em especial, para o movimento socialista.

Eis os principais trechos da entrevista exclusiva que ele concedeu a  Leituras da História:

Leituras da História - O senhor admite que o Socialismo imaginado por Marx nunca pôde ser implementado. Será que isso não aconteceu porque o que Marx concebeu foi uma utopia, e não um sistema plenamente realizável?
Robério Paulino - Não vejo desse modo. Os críticos do Socialismo costumam referir-se a uma rotina de violências que teria predominado sobre o processo de consolidação política dos bolcheviques na Rússia, mas é preciso analisar isso com calma, à luz das circunstâncias. Em 1917 era fazer a Revolução ou tolerar uma Ditadura que sacrificava o povo russo há várias gerações. Lênin e Trotsky tinham perfeita consciência de que não estavam dadas as condições para a deflagração da Revolução, mas não havia como deixar de enfrentar todo o atraso material do país, e ainda fazer o processo político avançar. Depois veio a guerra de 1939, com milhões de mortos, onde as decisões eram tomadas em meio ao fogo dos incêndios e dos bombardeios. Os muitos erros que foram cometidos na Rússia, nessa primeira metade do século 20, foram fruto de situações desesperadas. Nessas circunstâncias você não pode prever exatamente as consequências de muitos dos seus atos.
LH - Mas o seu livro analisa por que o Socialismo deu errado...
RP - No meu livro não digo que os preceitos do Socialismo não deram certo. Eu me pergunto sobre aquilo que não deu certo no movimento durante o século 20. É bem diferente... A União Soviética foi o primeiro país do mundo a acabar com o analfabetismo, um dos primeiros a reduzir a jornada de trabalho, Cuba tem um IDH que, em muitos pontos, é bastante superior ao do Brasil, tem um sistema de saúde que se baseia no atendimento preventivo, nos pequenos hospitais de bairro...
LH - Mas é inegável que a economia cubana é atrasadíssima, com uma máquina estatal que não passa de um gigantesco cabide de empregos, assim como a sociedade norte coreana é também empobrecida... De que falha, afinal, estamos falando? Da falha do modelo soviético de máquina estatal?
RP - Aí concordamos. Sou muito crítico à máquina estatal russa, à hipertrofia dela, à burocracia. Entendo que o Planejamento é desejável, e que o papel do Estado é, em muitas ocasiões, desejável. Mas não um planejamento feito por cima, como aconteceu na antiga União Soviética, de aspecto ditatorial, onde a crítica é tomada como um crime. Não se credite isso ao Socialismo, por favor...
LH - Então, repito a pergunta: de que falha de origem Socialista estamos falando?
RP - Divido essa resposta em duas partes. Primeiro: quando Marx enunciou a sua teoria Socialista, na virada do século 19 para o século 20, o mundo vivia um modo de produção majoritariamente rural. Sem querer fazer críticas à atividade produtiva no campo, lembro que isso gerava uma certa indigência material. Em segundo lugar, é preciso levar em conta a agressão militarista do Ocidente. Por mais de 70 anos a Esquerda foi transformada em alvo de uma mobilização gigantesca, liderada pelos Estados Unidos, que a atacou e enfraqueceu de todas as formas possíveis.
LH - Por que o Socialismo não alcançou os efeitos de distribuição justa das riquezas entre os homens, conforme o enunciado por Karl Marx?
RP - Por diversos motivos. Mas, sobretudo, por causa da transformação dessas iniciativas socialistas em ditaduras. Experiências desse tipo estão muito distantes do Socialismo imaginado por Marx.
LH - A apropriação do Socialismo por clãs, como os Castro em Cuba, ou os Kim na Coréia do Norte, isso não lhe parece um erro?
RP - Certamente que sim. Essa personalização nada tem a ver com a teoria de Marx.
LH - E o "Socialismo do Século 21" enunciado pelo Presidente da Venezuela, Hugo Chávez?
RP - Isso também nada tem a ver com a teoria socialista original. É mais uma apropriação indébita...
LH - Que tem cooptado apoios nas áreas acadêmicas de diversos países sul-americanos, como Brasil, Argentina, Uruguai, Bolívia, Equador...
RP - Mas não o meu apoio. Isso não me interessa.
LH - Partindo do pressuposto de que o Socialismo de Marx é o Socialismo que o senhor defende, eu lhe pergunto: qual é o seu Socialismo?
RP - Meu Socialismo não é aquele que visa dar mais pão. Meu Socialismo é pão, liberdade e democracia.
LH - Alguma coisa a ver com o Partido Socialista Francês, que tem se revezado no Poder, na França, com uma consistência que poucas agremiações socialistas européias conseguiram?
RP - Não, não. O Partido Socialista Francês é um partido de ideias neoliberais. É um exemplo claro de como é possível distorcer o ideal Socialista de Karl Marx.
LH - Mas Stálin distorceu esse ideal com muito mais violência...
RP - Muito mais, sem dúvida. Stálin foi um tirano e um assassino. Mas não foi o único, na Rússia, a prejudicar os ideais socialistas. [Leonid] Brezhnev fez a mesma coisa em 1968, ao mandar os tanques de guerra esmagarem a Primavera de Praga, onde os socialistas checos tentavam repensar a Esquerda dentro de bases mais abertas à discussão.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Amy is forever!



Amy Winehouse nos deixou há exatamente quatro meses. Confesso que pouco conhecia de sua história e obra, pois chegavam a mim os seus escândalos, massificados pela “mídia oficial” a denegrir sua imagem e seu trabalho. Amy, na verdade trilhou caminhos críticos à sociedade com sua vestes, penteados e maquilagem caricaturais, aliados ao seu excelente ritmo, o Soul... (1) que, somados incomodavam muito o establishment, com o apoio ostensivo da “mafiosa” grande imprensa conservadora.
Como Janis Joplin, Jimmy Hendrix, Kristen Pfaf, Jim Morris, Cazuza e tantos outros músicos que a morte levou cedo, Amy foi-se aos 27 anos...
O fato é que o seu desaparecimento provocou em mim uma grande curiosidade em conhecer melhor o seu trabalho. O resultado foi que me transformei em seu fã e apaixonado admirador. Mas não um fã qualquer, pois me considero desses “de carteirinha”!
Ao pesquisar um pouco de sua história descobre-se que, ainda criança, por volta dos dez anos, Amy já fundava uma banda “amadora” de Rap: Sweet 'n Sour, as Sour. Ganhou a sua primeira guitarra elétrica aos 13 anos e, aos 16, já cantava profissionalmente ao lado de um amigo, o cantor de Soul Tyler James.
Após seu primeiro álbum intitulado Frank, já no segundo, Back to Black recebeu seis indicações para o Grammy 2008. E venceu cinco! Back to Black atingiu tambem um grande sucesso comercial, sendo o disco mais vendido de 2007 (mais de cinco milhões de cópias no ano).
No dia 18 de maio de 2007, Amy casou-se com Blake Fielder de quem veio a divorciar-se em 16 de julho de 2009. Em 2008, Amy deu um concerto no Rock in Rio Lisboa. Diz-se que entrou no palco bêbada e encontrava-se completamente rouca. Este concerto foi motivo de notícias nos mais diversos meios, tentando já desconstruir sua imagem...
Mas os escândalos começaram a se agravar à medida que as drogas se intensificavam no seu cotidiano. Na mesma ocasião do referido concerto em Lisboa, Amy foi presa duas vezes, tendo sido vista cheia de arranhões.
Depois disso, em audiência de um processo de seu ex marido, Black Fielder, Amy exaltou-se no tribunal e foi expulsa do edifício, pois não parava de gritar dentro da sala. Várias fotografias de Amy com Blake foram parar na internet. Numa dessas, ela aparecia em poses sensuais, com o seu seio exposto e comprimidos na língua.
Em conseqüência das drogas, Amy passou algum tempo num hospital, internada pelo pai, depois de ter desmaiado em casa quando ia dar autógrafos a alguns fãs que a esperavam em frente à porta de sua casa. Foi feito um alerta à cantora de que se não deixasse as drogas iria perder a voz e morrer rapidamente.
Amy foi liberada para sair do hospital na última semana de junho para ensaiar, pois iria fazer shows que já estavam marcados antes da internação. Tudo isso seria feito com acompanhamento médico e depois dos shows ela retornaria ao hospital para continuar o seu tratamento. Logo depois de sair do hospital para ir ensaiar, Amy foi encontrada fumando muito e consumindo várias qualidades de bebidas como uísque e vodka.
No dia 29 de maio,  a cantora apresentou-se no Festival de Glastonbury onde cantou durante uma hora. Dessa vez, a cantora aproximou-se muito dos fãs, quando um deles jogou um objeto que bateu em sua cabeça, o que fez com que Amy tivesse uma reação agressiva, tentando dar socos no fã.
Amy Winehouse foi encontrada morta em sua casa, em Camdem (Londres) em 23 de julho de 2011, quatro da tarde (hora local). A informação foi confirmada pela polícia inglesa. O jornal The Sun noticiou que “a polícia havia sido chamada às 16 horas e 5 minutos a uma propriedade naquele bairro para atender uma mulher desacordada”.
No entanto, sua causa mortis só foi oficialmente divulgada mais de três meses após o acontecimento, em 26 de outubro de 2011: intoxicação alcoólica. Amy, segundo as conclusões do inquérito, entrou em coma e acabou por morrer.
A gravação acima, realizada no Late Show with David Letterman é uma excelente interpretação de sua composição Rehab, que eu considero uma de suas melhores músicas. E esta é tida como sua melhor versão ao vivo –há uma encenada,  muito boa (2). No entanto, esta tem a vantagem de ter legendas em português. A tradução prejudica algumas características linguísticas, pois esta música no original tem rimas como “no, no, no" com “know, know, know”, ou ainda “go, go, go”, que lhe dão uma riqueza poética, mas é interessante para quem não conseguir entender o que ela quis dizer.
Finalmente, observem a sua sensualidade e performance, suas expressões faciais e corporais, sua voz de negra –sim, uma branca com o admirável tom que somente os negros têm. E ao lado disso os dançarinos, os dois ao fundo e o ritmo deles... Isto tudo faz com que pensemos o quanto “Amy é para sempre!”

1. O Soul (alma em inglês) tem sido uma grande influência na música popular britânica desde os anos 1960, tendo tido grande influência até na música dos Beatles.
O Soul estadunidense era muito popular entre algumas culturas jovens na Inglaterra, como os movimentos northern soul e modern soul, mas um gênero clara de Soul britânico não surgiu até a década de 1980, quando uma série de artistas fizeram sucesso comercial.
A popularidade de artistas de Soul britânicos nos EUA, mais notavelmente Amy Winehouse, Joss Stone, Adele ou Leona Lewis levou a falar de uma terceira invasão britânica ou invasão soul neste século.

2. http://www.youtube.com/watch?v=KUmZp8pR1uc

NOTA: Os dados referentes a informações biográficas foram obtidos na Wikipédia... 

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Raquel Pacheco, ou... “Bruna Surfistinha” e Danilo Gentili. Um verdadeiro show!



Falando sério, e apesar de ser cômico, mas eu já havia falado nisto, mas considero que AGORA é tarde, o programa de Danilo Gentili o melhor talkshow do Brasil.
Com todo o respeito a Marília Gabriela, uma senhora entrevistadora, no entanto o gênero dela é outro... Acontece que o Jô Soares, que era muito bom no SBT (e apesar do Silvio Santos), depois que foi para Globo, perdeu-se no emaranhado da emissora... Cuja padronização acabou com ele!
A entrevista acima foi simplesmente uma das mais engraçadas que já assisti em todos os tempos. Por isso, aproveito para postá-la.
E aproveitem para apreciar a belezoca que é a Raquel Pacheco, “Bruna Surfistinha” para os íntimos.

Não deixe de assistir mais imagens do povo iniciando uma revolução!



Clique na imagem para ampliá-la
Li e vi esta notícia no Avaaz (1)... Mas vejam vocês tambem as imagens deste momento histórico em que milhares de simpatizantes foram para o parque em solidariedade aos ativistas.
Anteontem,o município de Nova Iorque, a polícia e o proprietário do Parque Zucotti (vejam a localização no mapa ao lado), onde se encontra o “Ocupe Wall Street”, se uniram para tentar expulsar e prender os ativistas - mas ontem foi anunciado que o proprietário do parque (2) retirou seu pedido de despejo e os policiais "adiaram" as prisões por causa do número surpreendente de pessoas reunidas no local para apoiar o protesto!


2. Até parques “públicos” têm proprietários naquele país? Isto é um verdadeiro absurdo!

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Links importantes na “Lista de Blogs” deste blogue



Para ampliar clique nas imagens

Postei sexta feira em “Minha lista de Blogs”, na coluna ao lado, os links dos movimentos “Ocupar Wall Street” (Occupy Wall Street) e “Ocupar Juntos” (Occupy Togheter), cujas imagens estão acima, pois acho da maior importância que participemos –ou pelo menos acompanhemos– o que está a acontecer no questionamento e nas ações efetivas contra o capitalismo.
O interessante é que“Occupy Togheter” nos proporciona uma cobertura a todos os movimentos de “ocupação” ao redor do mundo.
Está a se delinear uma Revolução Mundial –que Leon Trotsky definiu como “Revolução Permanente” (1)–, pois o quer que aconteça num mundo pós capitalismo deverá ser um sistema sem fronteiras em que a humanidade alcance uma relação internacionalista (2) e igualitária.
No entanto temos que estar atentos às reações da classe dominante, porque ela pode estabelecer retrocessos , como o da matéria publicada ontem neste blogue, cujo maior perigo é nos mergulhar em uma nova “era de trevas”, como foi a Idade Média sob o domínio da “Santa Madre Igreja” e sua Inquisição, que exterminou mais de 70 milhões de pessoas.
Postei tambem na citada “lista de Blogs” o link do importante jornal diário “Rebelión” (terceira imagem de cima para baixo), editado na Espanha e com grande número de leitores na América Latina e nos Estados Unidos, que tem em sua pauta de articulistas o nosso colaborador nos Estados Unidos, Professor Jorge Moreira (Jorge Vital de Brito Moreira), cujo currículo resumido tambem encontra-se na coluna ao lado. Esta publicação é muito informativa, analítica e possui uma linha editorial independente e revolucionária.

1. Para conhecer um resumo das ideias de Trotsky sobre o assunto acesse o link:

2. A grande distorção da Revolução de Outubro de 1917, na Rússia, foi a tentativa de estabelecer o “socialismo em um só país”, tese de Stalin; que “deu no que deu!”. Isto porque o socialismo deverá ser um sistema sem fronteiras, sem países, sem pátrias, fundamentais para a burguesia, na época em que assumiram o poder (3), mas que divide os homens e provocam guerras e tentativas de expansões e domínios.

3. Hoje, com a “globalização” do capital, países nem são tão úteis aos interesses do grande capital.

NOTA IMPORTANTE: Por algum motivo (tambem desconhecido), já estou a conseguir habilitar os links na internet da forma habitual.

domingo, 20 de novembro de 2011

Complemento às Pensatas de domingo. Ou, this is democracy? Melhor dizendo: “democracy”?



Assistam às cenas acima. Comprovem com que violência a burguesia reprime os trabalhadores, a classe média e os desempregados nos Estados Unidos! Vejam a polícia fascista de Nova Iorque “baixando o pau” na população!
Ouçam o que o povo diz! Ouçam seus apelos para que a polícia não os massacre porque “eles tambem são povo”. E isso é muito importante. As massas, em todos os processos revolucionários ao longo da história sempre acabaram por ganhar o apoio da polícia ou do exército com apelos como este...
E o coro de “Vergonha! Vergonha!”, ou “Nós não estamos amedrontados! Nós não estamos amendrontados!”. Fantástico!
O discurso final (em off) de uma manifestante, em que cobra dos policiais o fato de que estão ali, pagos por eles, para protêge-los não para lhes aterrorizar em defesa dos milionários... E destaca a brutalidade do ato é simplesmente emocionante.
Mas essa é a “democracia” que tanto decantam os governantes ianques?
Já publiquei neste blogue muitas críticas ao conceito da “democracia” ocidental. Na postagem intitulada “Democracia e Utopia” (1), publicada em 24 de novembro de 2008, disse em um trecho:
“(...) Já falei aqui sobre o embuste da “democracia” ocidental. Principalmente nos Estados Unidos, cuja intenção igualitária à época de sua independência em fins do século XVIII –comandada pela então revolucionária classe burguesa– com o passar do tempo transformou-se num reacionário poder da máquina industrial financeira, manipulada pela grande mídia. O que existe hoje e de fato é uma ‘ditadura da burguesia’...
...Na verdade a livre manifestação de opinião, tão decantada pelo sistema, só existe enquanto essas opiniões não ameaçam verdadeiramente a manutenção do status quo. Tudo é aparência, tudo um jogo de propaganda que visa enganar o cidadão comum, dando-lhe a sensação de estar vivendo uma situação democrática...”
É bom lembrar que existem outros artigos sobre a temática “democracia” neste blogue.

1. O link para esta postagem é:
http://novaspensatas.blogspot.com/2008/11/democracia-e-utopia.html


NOTA IMPORTANTE: Por algum motivo (para mim desconhecido), não estou a conseguir habilitar o link existente nesta postagem à internet da forma habitual. Como desconheço outra forma de fazê-lo, peço desculpas aos meus leitores, mas eles terão que, pelo menos por enquanto, copiar e colar o link acima na barra de acesso em seus navegadores. E embora não acessem direto à internet, de qualquer maneira o destaquei em amarelo para que fique fácil de visualizar.

Pensatas de domingo, coisas bonitas, feias, Natalie Wood, bombas e Wall Street....


Felizmente vamos começar esta Pensata com uma “coisa bonita”. E inteligente, of course! Então nada melhor do que a foto de Monica Iozzi do CQC (Custe o Que Custar) exibido todas as segundas na Band.
Monica, eu nem sei se você vai ler isto, mas quero dizer aqui que para alem de ser a excelente jornalista que é, é tambem um colírio para os meus olhos e de todos os leitores deste blogue.

Aliás, por falar em “custe o que custar”, Ciro Gomes afirmou quinta feira (17) em entrevista à TV UOL (1) que é "natural" que seu partido, o PSB, rompa a aliança com o PT no plano nacional. Ciro disse também que só disputa nova eleição se for para presidente da República. Lembrando: ele já concorreu ao cargo em 1998 e 2002.

A polícia de Los Angeles informou na quinta feira que reabriu, 30 anos depois (29/11/1981), a investigação da morte da atriz Natalie Wood (2). O porta voz do governador do condado de Los Angeles, Steve Whitmore, destacou que a polícia recebeu novas informações acerca do caso.
A atriz de 43 anos (1938/1981) foi encontrada morta, com o corpo boiando nas águas duma baía na ilha Catalina, na costa da Califórnia, em um fato que foi considerado acidental, mas que causou polêmica na época. As autoridades determinaram que a atriz bebeu demais antes de sua morte, concluíram que tudo foi um acidente quando Natalie caiu enquanto tentava saltar para um bote de borracha atado ao iate onde viajavam.
Apesar da conclusão policial, começaram a circular rumores de suicídio ou assassinato e teorias sobre uma possível briga com seu marido antes de cair na água, motivada por uma suposta crise de ciúmes de Robert Wagner (o marido) motivado pela amizade da atriz com Cristopher Walken (o ator de um filme que realizavam).
Dennis Davern, capitão do iate em que Natalie Wood estava antes de morrer, disse ao programa de TV "Today", da "NBC", que mentiu para os investigadores há 30 anos. Ele acusa Robert Wagner pela morte da atriz.
Davern disse que a briga entre Natalie e Robert foi crucial para a morte dela. Questionado sobre o quanto a briga estaria ligada à morte, o capitão do iate disse ao canal de televisão que "essa será uma decisão dos investigadores".
Na sexta feira a irmã da atriz, Lana Wood, falou ao site "TMZ" que nunca acreditou na versão contada por Robert Wagner. Afirmou também que Wagner não foi honesto com as autoridades ao ser interrogado e que, na época, foi questionada por policiais se a relação entre Natalie e seu marido era "inconstante". Lana acredita que "se há um responsável pela morte de Natalie, ele deve ser punido, mesmo 30 anos depois".
Através de um porta voz, Robert Wagner emitiu um comunicado dizendo que ainda não recebeu qualquer contato da polícia de Los Angeles, mas que “apóia totalmente os esforços agora feitos” e que “confia que será avaliado se qualquer nova informação relacionada com a morte de Natalie Wood Wagner (nome de casada da atriz) considerada válida”. Frisou também que essa informação deve vir de “fontes credíveis e não dos que simplesmente querem lucrar” com o 30º aniversário da morte da atriz.
A verdade é que estão surgindo contradições que podem provocar consequências dramáticas ao caso.

O ministro da Defesa israelense Ehud Barak disse ontem em entrevista à CNN que “o Irã está a menos de um ano de atingir sua ‘meta’ de produzir uma arma nuclear”.
Teerã afirma que seu programa nuclear é para fins pacíficos. Barak negou-se a comentar sobre as especulações da forte explosão em uma base militar iraniana na semana passada, que matou 17 soldados tenha sido um trabalho do Mossad, serviço secreto de Israel.
Estados Unidos e Israel não descartam ataques aéreos a instalações nucleares iranianas. E parece que estão a preparar essa ação...

Frase da semana: “A infância não, a infância dura pouco. A juventude não, a juventude é passageira. A velhice sim. Quando um cara fica velho é pro resto da vida. E cada dia fica mais velho.” (Millôr Fernandes)

Dezenas de milhares de pessoas saíram às ruas de Nova Iorque na última quinta feira celebrando o aniversário de dois meses do movimento "Ocupe Wall Street" com uma passeata próxima à Bolsa de Valores. Os protestos terminaram com ao menos 300 detidos pelas forças policiais, segundo dados atualizados divulgados pela imprensa ianque na sexta feira.
Em diversos Estados, manifestações semelhantes ocorreram em apoio ao movimento "Ocupe", cujos acampados vêm sendo expulsos de parques e praças pelas autoridades locais, que justificam a ação por “motivos de segurança”.
Vias de acesso ao centro financeiro estavam bloqueadas desde a manhã do dia 17, e a situação ficou pior com protestos realizados nas estações de metrô durante o pico da movimentação da população no transporte público.
O protesto fazia parte de uma "Jornada de Ação Global" anunciada no site www.occupywallst.org (3), com manifestações previstas em outras cidades dos Estados Unidos, assim como na Bélgica, Alemanha, Itália, Nigéria, Polônia e Espanha http://www.occupytogether.org/ (4) .
Não tem volta! A Revolução avança no mundo inteiro!

Infelizmente vamos encerrar esta Pensata com uma “coisa feia”. O energúmeno (5) FHC, o FDP (6) está muito assanhadinho ultimamente, vocês não acham? Precisamos lançar o movimento “Cala a boca FHC!” a exemplo do “Cala a boca Galvão!” O ex presidente já fez muito mal a este país... Que fique caladinho no seu canto com os $ milhões que embolsou com a doação da Vale do Rio Doce e outras falcatruas, porra!

1. Se quiser conferir a entrevista completa de Ciro Gomes, acesse o link:
http://www1.folha.uol.com.br/poder/poderepolitica/ciro_gomes-1.shtml

2. Natalie Wood (cujo nome de batismo era Natalia Nikolaevna Zakharenko) ficou famosa por suas atuações em "Amor, Sublime Amor" (West Side Story, Robert Wise, 1961), "Clamor do Sexo (Splendor in the Grass, Elia Kazan, 1961)", "Rastros de Ódio" (The Seachers, John Ford, 1958), “Juventude Transviada” (Rebel Without a Cause, Nicholas Ray, 1955), entre outros filmes, tendo começado a trabalhar em Hollywood com apenas cinco anos de idade em 1943.

3. Lembrando que desde a última sexta feira (18/11/11) o link para “Occupy Wall Street” já está em “Minha lista de Blogs”, na coluna ao lado.

4. “Occupy Togheter” é o site para os movimentos de ocupação nos Estados Unidos e em outros países. O link também já está na “Minha lista de Blogs” desde anteontem.

5. Este termo “energúmeno” associado à hedionda criatura tem o copywright do Professor André Setaro.

6. Sigla de “Fernando Henrique Cardoso” o Filho da Puta”, uma campanha “caseira” que fiz na qual colava adesivos nos elevadores, corredores, ônibus e táxis em que entrava, banners nos meus blogues e o envio de-mails para pessoas conhecidas.

NOTA IMPORTANTE: Por algum motivo (para mim desconhecido), não estou a conseguir habilitar os links na internet da forma habitual. Como desconheço outra maneira de fazê-lo, peço desculpas aos meus leitores, mas eles terão que, pelo menos por enquanto, copiar e colar esses links na barra de acesso de seus navegadores. De qualquer maneira os destaquei em amarelo para que fiquem mais fáceis de visualizar.

sábado, 19 de novembro de 2011

Os eventos e as novidades desta semana nos Estados Unidos e Europa


O Professor Jorge Moreira (Jorge Vital de Brito Moreira), cujo currículo resumido está na coluna ao lado, nos enviou este texto de "dentro da boca do lobo", ou seja diretamente dos Estados Unidos; o que nos proporciona uma visão "in loco" dos fatos.

Os eventos da semana demonstraram mais uma vez que a política do governo dos EUA tem sido não somente expandir a militarização externa (ocupação militar da maioria dos países), mas a militarização da sociedade estadunidense.
A militarização interna do país está a se expandir em uma escala sem precedentes como estão comprovando os participantes do movimento “Ocupar Wall Street” que foram presos e denunciaram o policiamento paramilitar e o uso excessivo da força contra eles. Ontem, por exemplo, 95 pessoas foram presas por estar protestando contra o Bank of America, em São Francisco.
Outros participantes que foram vítimas dos ataques policiais nas ruas e praças das cidades, denunciaram o novo militarismo urbano que os EUA estão empregando contra os trabalhadores, os estudantes, os representantes sindicais, etc. A militarização do país também se evidencia notavelmente pelo uso de armamento pesado (até tanques de guerra compareceram nas praças ocupadas para intimidar), pelo número assustador de militares fardados (de capacetes, máscaras, enormes cassetetes, revólveres, metralhadoras) e de centenas de bombas de gás lacrimogêneo e de gás pimenta para utilizar contra os participantes do movimento; além de dezenas de policiais montados nos cavalos, nas bicicletas, nas motos, nos carros e nos helicópteros.
Quanto à militarização externa, as noticias recentes reportaram abertamente que os Estados Unidos estabeleceram sua presença militar permanente em mais um continente: na Oceania, especificamente a Austrália.
Apesar da dura repressão contra o movimento “Ocupar Wall Street”, ontem e hoje se realizaram grandes demonstrações por todo o país como parte da celebração do início do terceiro mês das manifestações de protesto.
Alem de Nova York, houve manifestações nas cidades de Washington, Portland, Los Angeles, Pittisburg, Chicago, Houston, St. Louis, Denver, Oakland, Berkeley e muito mais, incluindo marchas, ações de desobediência civil em bancos, pontes, estradas, com dezenas de detenções.
Não sou vidente, mas quando Mary Kay Henry, a presidente do Sindicato Internacional de Empregados de Serviços, SEIU (que conta com a força de dois milhões de membros) anunciou na TV o apoio antecipado à candidatura de Obama por ele “estar apoiando” o movimento "Ocupar Wall Street" comecei a rir do cinismo da senhora Mary. Ao ver e ouvir as suas declarações na TV, lembrei-me imediatamente do meu texto “Tem Wall Street os dias contados?” que foi publicado aqui em “Novas Pensatas” que dizia: “No início, o Partido Democrata aparece como se estivesse apoiando as demandas do movimento, logo começa a atuar para esvaziá-las do seu conteúdo rebelde, finalmente trata de capitalizar os membros do movimento para votar a favor dos democratas nas eleições em turno” vejam no seguinte link:
http://novaspensatas.blogspot.com/2011/10/tem-wall-street-os-dias-contados.html
Honestamente, depois da cínica declaração de May Kay Henry, propondo a articulação do movimento “Ocupar Wall Street” a reeleição do governo de Barak Obama, fiquei com vontade de vomitar.
É aterrorizador, o cinismo e a manipulação dos defensores do governo Obama e do Partido Democrata.
A classe dominante internacional tem por costume aparecer diante dos grandes meios de informação (a mídia corporativa e corrupta) para fazer discursos enaltecedores dos seus países por serem “países democráticos”.
No entanto, quando as classes exploradas e oprimidas tomam consciência da sua desgraçada situação e decidem ir para as ruas e praças para protestar, lutando para defender os seus direitos humanos (emprego, salário, comida, saúde, educação e moradia) a burguesia dos EUA e da Europa não tem o mínimo reparo para abandonar o discurso “democrático” apelando para a utilização anti democratica das forças militares para reprimir a população indignada.
A propósito da “democracia capitalista” o censo dos EUA afirma que o número de crianças no país que vive na pobreza aumentou em um milhão no ano passado. Agora, quase um em cada três crianças, ou 32,3%, vive em domicílios considerados pobres.
Mas quando a repressão militar não consegue anular a resistência da classe trabalhadora, a classe dominante “hipócrita e cínica” não tem o menor escrúpulo para impor golpes de estado para continuar mantendo os seus privilégios absurdos.
Em poucas palavras: a classe dominante (a burguesia) gosta de falar de democracia no sistema capitalista (e aparenta ser democrática) quando esse modo de dominação continua favorecendo aos seus interesses; quando os trabalhadores tomam consciência da expropriação sistemática e vão para as ruas defender os seus interesses de classe, exigindo respeito e justiça aos seus direitos humanos (emprego, salário, assistência médica, educação, habitação) a classe dominante imediatamente abandona o discurso “liberal democrático” e faz uso das forças militares para recompor a ordem liberal burguesa ou para impor a ditadura capitalista.
Isso é precisamente o que acabamos de observar na denominada Europa “democrática”: o grande capital financeiro decidiu impor abertamente a sua ditadura através da utilização de tecnocratas não eleitos para assumir a direção do governo da Itália e da Grécia.
Sob o pretexto de que os dois países europeus continuam a lutar sem sucesso contra a crise da dívida crescente, o capital financeiro decidiu impor (aos partidos políticos submissos e ao povo despolitizado) o Comissário da União Européia, Mario Monti para substituir o primeiro ministro Silvio Berlusconi. Na Grécia eles conseguiram impor ao vice presidente do ex Banco Central Europeu, Lucas Papademos, como primeiro ministro, substituindo George Papandreou.
Apesar do golpe de estado, um grupo de manifestantes se reuniram em frente ao parlamento grego, acusando o novo governo de trabalhar para os interesses dos banqueiros.
Por seu lado, os inspetores do Fundo Monetário Internacional, do Banco Central Europeu e da União Européia começaram a chegar a Atenas para adotar medidas radicais de austeridade contra as populações trabalhadora e média.
Em Roma, as notícias falam que o povo (com toda justiça) cantou, dançou e bebeu garrafas de champanhe no sábado após a renúncia de Berlusconi.
Mas muitos italianos levantam o seguinte problema: se o governo Berlusconi representou o que existe de pior para a situação social e econômica das classes trabalhadoras da Itália, o novo governo, imposto pelo grande capital financeiro, será ainda pior que o de Berlusconi, dado que Mario Monti não terá de prestar contas ao povo italiano.
Se existir alguma prestação das contas será por exigência e privilégio das gigantescas corporações financeiras que o colocaram como chefe de estado. Acredito que o mesmo raciocínio é valido para a situação política do povo grego.
E as noticias de hoje nos informam que houve um aumento e intensificação dos movimentos de protesto na Grécia e na Itália diante da ditadura do capital financeiro.
Dado o anterior, sigo pensando que a solução definitiva (para resolver os problemas sócio econômicos culturais da grande maioria dos seres humanos que habita este planeta) exige dos trabalhadores a mudança e a superação do modo de produção capitalista e sua sociedade burguesa. 

NOTA IMPORTANTE: Por algum motivo (para mim desconhecido), não estou a conseguir habilitar o link existente nesta postagem à internet da forma habitual. Como desconheço outra forma de fazê-lo, peço desculpas aos meus leitores, mas eles terão que, pelo menos por enquanto, copiar e colar o link acima  na barra de acesso em seus navegadores. E embora não acessem direto à internet, de qualquer maneira o destaquei em amarelo para que fique fácil de visualizar.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Um importante alerta sobre mais um crime friamente planejado pelo imperialismo contra todos os povos!


Recebi a mensagem transcrita abaixo do Avaaz (1). É importante que todos fiquem atentos para mais esta atitude nociva dos Estados Unidos contra a liberdade de imprensa e manifestação! Quem puder assine o abaixo assinado. Eu já o fiz!

Caros amigos,

Nesse exato momento, o Congresso dos EUA está debatendo uma lei que pode conferir ao país o poder de censurar a Internet do mundo inteiro -- criando uma lista negra que pode ter o YouTube, Wikileaks e até mesmo a Avaaz como alvos!

Sob essa nova lei, os EUA podem forçar os provedores de Internet a bloquearem qualquer website que seja suspeito de violar as leis de copyright e propriedade intelectual, ou que falhem em policiar suficientemente as atividades de seus usuários. E, por conta da maioria dos serviços de hospedagem de Internet estarem localizados nos EUA, essa lista negra poderia reprimir a web livre para todos nós.

A votação pode acontecer a qualquer dia, mas podemos ajudar a impedir isso -- alguns membros do Congresso querem preservar a liberdade de expressão e nos informaram que um clamor internacional ajudaria a aumentar a força deles lá dentro. Vamos urgentemente levantar nossas vozes de todos os cantos do mundo e criar uma petição global como nunca antes vista, apelando para que os tomadores de decisão nos EUA rejeitem esse projeto de lei e impeçam a censura da Internet. Clique abaixo para assinar e, em seguida, encaminhe para a maior quantidade de pessoas possível -- nossa mensagem será entregue diretamente para membros do Congresso dos EUA antes da votação crucial:
http://www.avaaz.org/po/save_the_internet/?vl

Durante anos, o governo dos EUA condenou países como a China e o Irã pela repressão ao uso da Internet. Mas o impacto das novas leis de censura na América do Norte pode ser ainda pior -- efetivamente bloqueando sites para todos os usuários de Internet ao redor do planeta (2).
No ano passado, um projeto de lei de censura da internet semelhante foi impedido antes de chegar ao Senado dos EUA, mas agora esse projeto está de volta em uma forma diferente. As leis de copyright e direitos autorais já existem, e são aplicadas pelas cortes. Mas essa nova lei vai muito além -- garante ao governo e a grandes corporações poderes enormes para forçar os provedores de serviço e ferramentas de busca a bloquearem websites, baseando-se somente em alegações de violações -- sem um julgamento ou prova de que o crime aconteceu!

Os defensores da liberdade de expressão nos EUA já ativaram o alarme, e alguns senadores estão tentando reunir apoio suficiente para impedir esse perigoso projeto de lei. Não temos tempo a perder. Vamos apoiá-los para garantir que os legisladores americanos preservem o direito por uma Internet livre e aberta como uma maneira essencial das pessoas ao redor do mundo trocarem ideias, comunicarem-se e trabalharem coletivamente para construir o mundo que queremos. Assine abaixo para impedir a censura nos EUA, e salvar a nossa Internet:

http://www.avaaz.org/po/save_the_internet/?vl

Nos últimos meses, da Privamera Árabe ao Movimento Occupy ao redor do mundo, temos visto em primeira mão como a Internet pode estimular, unir e mudar o mundo. Agora, se ficarmos juntos, podemos impedir esse novo ataque contra a liberdade da Internet. Já conseguimos isso antes -- no Brasil e na Itália, os membros da Avaaz conseguiram grandes vitórias na luta pela liberdade da Internet. Vamos fazer dessa uma luta global, e nos mobilizarmos para derrotar a mais poderosa ameaça de censura que a Internet já viu.

Com esperança,

Luis, Dalia, Diego, Emma, Ricken, Aaron, Antonia, Benjamin e o restante da equipe da Avaaz

Mais infomações:

Sites aderem à campanha "Parem com a Censura" na web (Terra)
http://tecnologia.terra.com.br/noticias/0,,OI5473579-EI12884,00-Sites+aderem+a+campanha+Parem+com+a+Censura+na+web.html 

Editorial: Projeto de Lei da lista negra permite que juízes federais removam sites da Internet (em inglês) (Digital Journal)
http://digitaljournal.com/article/313463

A Desastrosa Legislação de IP Está de Volta – E pior do que antes (em inglês) (EFF)
https://www.eff.org/deeplinks/2011/10/disastrous-ip-legislation-back-%E2%80%93-and-it%E2%80%99s-worse-ever

Legisladores do Vale do Silício se opõem à lei de pirataria online (em inglês) (SFGate)
http://www.sfgate.com/cgi-bin/article.cgi?f=/c/a/2011/11/15/BUO81LV0KI.DTL

A Lei para Impedir a Pirataria: resumo, problemas e implicações (em inglês)
https://www.cdt.org/files/pdfs/SOPA%202-pager%20final.pdf

1. Avaaz, que significa "voz" em várias línguas européias, do oriente médio e asiáticas, foi lançada em 2007 com a missão democrática de mobilizar pessoas de todos os países para construir uma ponte entre o mundo em que vivemos e o mundo que a maioria das pessoas querem.
A Avaaz mobiliza milhões de pessoas de todo tipo para agirem em causas internacionais urgentes, desde pobreza global até os conflitos no Oriente Médio e mudanças climáticas. O seu modelo de mobilização online permite que milhares de ações indivíduas, apesar de pequenas, possam ser combinadas em uma poderosa força coletiva.
Operando em 14 línguas por uma equipe profissional em quatro continentes e voluntários de todo o planeta, a comunidade Avaaz se mobiliza assinando petições, financiando campanhas de anúncios, enviando e-mails e telefonando para governos, organizando protestos e eventos nas ruas, tudo isso para garantir que os valores e visões da sociedade civil global informem as decisões governamentais que afetam todos nós.

IMPORTANTE: O LINK DO "AVAAZ" JÁ ESTÁ MARCADO AO LADO EM "MINHA LISTA DE BLOGS"

2. Será um novo Macartismo?

NOTA IMPORTANTE: Por algum motivo (para mim desconhecido), desde a postagem passada não estou a conseguir habilitar os links na internet da forma habitual. Como desconheço outra forma de fazê-lo, peço desculpas aos meus leitores, mas eles terão que, pelo menos por enquanto, copiar e colar estes links na barra de acesso em seus navegadores. E embora não acessem direto à internet, de qualquer maneira os destaquei em amarelo para que fiquem fáceis de visualizar.
MUITO OBRIGADO!