domingo, 9 de maio de 2010

Domingo é dia

A TV Brasil (1) exibe hoje às 23h, o filme La vida es silbar, do cubano Fernando Pérez, um dos diretores mais importantes da geração de 1990 do cinema deste continente.
O filme foi rodado em Havana e é uma produção do Instituto Cubano de Arte e Industria Cinematográfica (ICAIC), narra a história de três pessoas que não são felizes e se dividem entre o amor, o ódio, promessas, verdade e prejuízo.
Três personagens dos dias atuais devem escolher entre manter suas crenças e tradições ou libertarem-se delas para viver uma vida mais livre. A bailarina Mariana prometeu a deus se manter celibatária caso ela consiga o papel numa apresentação. Julia é uma trabalhadora que sempre desmaia ao ouvir uma palavra em especial. E o percussionista Elpídio foi abandonado pela mãe, coincidentemente chamada "Cuba".
O filme acumulou prêmios por todo o mundo, entre eles o Goya, promovido pela Academia de Cinema Espanhol.
La vida es silbar é mais um filme da série Cine Ibermedia, que reúne obras de países da América Latina, Espanha e Portugal. Os longas estão sendo exibidos simultâneamente nos canais de televisão pública dos 17 países envolvidos no projeto.
Mas desde março o Cine Ibermédia que tem sido exibido pela TV Brasil nos domingos às 23h com filmes alem da média, como Lugares comunes, ou Capitães de abril. Entre os destaques de maio está El mismo amor, la misma Illuvia, do argentino Juan José Campanella, o mesmo autor de O segredo dos seus olhos, que ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro este ano. No elenco estarão também os atores Ricardo Darín e Soledad Villamil.
Mas já assistimos neste verdadeiro Festival a Coronación, obra dirigida por Silvio Caiozzi e baseado no romance homônimo de José Donoso. Este filme chileno, é considerado o filme latino-americano com maior quantidade de prêmios recebidos na história do cinema. São 36 no total. Lançado em 2000, o longa-metragem conta a história de Dona Elisa de Ávalos (María Cánepa), uma mulher que vive os últimos dias de sua vida.
No último domingo, quem se ligou na TV Brasil e assistiu o Cine Ibermedia, teve o privilégio de ver La vendedora de rosas, um filme colombiano de excelente qualidade.
A TV Brasil nos presenteia esta maravilhosa série, que nos põe em contato com filmes produzidos em países da América Latina, Espanha e Portugal. Serão, no total, 52 filmes que divulgam a história, os costumes e a cultura dos povos ibero-americanos. Os longas serão exibidos simultaneamente nas TV’s públicas dos 17 países envolvidos no projeto. O primeiro filme foi Flores de outro mundo, uma obra espanhola de 1999, dirigida por Iciar Bollaín.
.........
(1) Favor não confundir com o Canal Brasil...

10 comentários:

Ieda Schimidt disse...

O cinema latino-americano, apesar de não ter uma produção gigantesca, pois os argentinos e mexicanos são os que têm uma indústria mais consolidada (daí o nosso não se igualar ao de los hermanos) precisa ser mais divulgado entre nós. Tu pode ver que pouco o conhecemos.
Mas o Brasil tem a característica de se isolar dos demais países vizinhos. Talvez porque falemos português. Fora nós, gaúchos, que pela fronteira somos mesmo vizinhos de porta. Ou de rua, pois tu sabe que temos cidades em que de um lado é Brasil, do outro Uruguiai.
Esta iniciativa da TV pública brasileira é digna de ser registrada e tua força neste sentido, digna de elogios.

André Setaro disse...

O cinema realizado na América Latina praticamente é desconhecido do público brasileiro, exceção se faça a alguns filmes argentinos. Nem mesmo em DVDs podem ser encontrados. Daí a importância da iniciativa da Tv Brasil em programá-los. O que nos é dado a ver é um lixo oriundo da indústria cultural de Hollywood (cujos grandes estúdios acabaram e os talentosos diretores já se foram e são hoje dirigidos por executivos da Mitsubichi e da Coca-Cola, que nada entendem de cinema).

Jonga Olivieri disse...

É, tem mesmo esta rua que divide Brasil e Uruguai.
Mas de fato conhecemos muito pouco do cinema de todos 'los nuestros hermanos'.
Há pouco tempo cheguei à conclusão de que o cinema argentino é muito, mas muito superior ao brasileiro.
Pelo menos deppis que vi "El secreto de tus ojos" e uns dois que passaram justamente neste "Cine IberMedia" da TV Brasil.
E tambem lá não tem um picareta como Daniel Filho, que alem de ser um merda se acha bom pra dedéu!

Jonga Olivieri disse...

É, o templo hollywoodiano foi destruído por "fariseus" na ganância de faturar cada vez mais sem se preocupar com a qualidade est´tica do cinema.
Impuseram trucas espetaculares de computador e acabaram cxom elementos básicos da gramática do cinema.
Triste, muito triste.
Na contramão disto, o que se vê no restante da América (a nossa) é um cinema adulto e preocupado com a realidade social. À excessão do brasileiro que descambou por completo e talvez seja hoje o pior cinema do continente...

Anônimo disse...

Já estou com pipoca e guaraná ao lado da poltrona prontinha para assitir La Vida es Silbar...
(a) Mara

Jonga Olivieri disse...

Então me diz depois o que achaste do filme.
Eu achei muito bom. E vê-se como todo o "sincretismo religioso" cubano parece com o nosso.
Eu já havia lido sobre isto uma vez.
O cerne de tudo é que os 'Afros' que para lá forma eram das mesmas regiões (ou rinos) dos nossos.

André Setaro disse...

Aliás, no comentário que fiz deveria ter me referido também aos filmes da chamada América Central, que são ainda mais desconhecidos no Brasil.

No apogeu de Hollywood, produtores como Louis Mayer, Harry Cohn, Darryl Zanuck, Adolph Zukor, David Selznick, Jack Warner, além, claro, de terem o lucro como meta, entendiam muito de cinema, entendiam, aliás, de tudo em relação ao processo de criação cinematográfica. Ao contrário da "Hollywood" de hoje (que, a rigor, não existe mais, pois uma fusão de empresas).

Jonga Olivieri disse...

O lucro, não tem jeito, faz parte do capitalismo.
O pior é a ignorância. O desconhecimento.
Finalmente, tratar um filme como se fosse um 'Big Mac' da vida!

Aleks disse...

Parabéns, gostei muito de saber que existem outras pessoas que estão divulgando e elogiando a iniciativa da TV Brasil por exibir os filmes da série Cine Ibermédia. Eu digo isto, porque também tenho um blog (http://telenoveleiros.blogspot.com/), onde além de postar sobre as telenovelas latinas que passaram e passam no Brasil, entre outros artigos, também estou postando sobre os filmes exibidos pela TV Brasil na sessão Nosso Cinema, do Cine Ibermédia. Visite meu blog, quem sabe poderemos trocar informações.

Jonga Olivieri disse...

Caro Aleks, vou dar uma olahda no seu blogue, porque penso ser ele muito bom. Só que estou de saída e será mais tarde. Anyway, fica registrado...