sábado, 10 de abril de 2010

Massacre de civis no Iraque em 2007


Acima imagens da sangrenta sequência

Um vídeo divulgado na internet (05/04/2010), no qual militares invasores aparecem disparando indistintamente contra crianças e pessoas desarmadas, prova que o exército dos Estados Unidos se omitiu sobre os eventos de 12 de julho de 2007, quando mais de dez iraquianos morreram e duas crianças ficaram feridas em uma ofensiva.
O vídeo é acompanhado pelo áudio da conversa dos militares estadunidenses durante a operação. É possível ver um grupo andando pelas ruas de Bagdá (quadro 1). Em seguida se ouve os pilotos identificando-os como rebeldes e as pessoas são baleadas. Em terra, uma van aparece para resgatar os feridos e também é bombardeada (quadros 2 e 3).
No dia seguinte ao ataque, o exército ianque divulgou a sua versão para os acontecimentos, que, inclusive matou jornalistas da agência Reuters de notícias.
De acordo com os militares, os helicópteros se encaminharam para o local para dar apoio a uma equipe em terra que combatia tropas insurgentes munidas de armas de fogo. De cima, os pilotos teriam visto pessoas armadas no chão e levado o massacre adiante. Na realidade eram jornalistas e fotógrafos da agência com máquinas que foram confundidas com armas devido às objetivas muito longas (quadro 4).
Durante a gravação, é possível ouvir os militares zombando das pessoas alvejadas. “Ah, yeah, olha só esses malditos mortos. Bacana”, um atirador afirma.
Quando as tropas do solo chegaram ao local, encontraram duas crianças feridas dentro da van bombardeada, ouve-se: “Bem, é culpa deles se trazem suas crianças para a batalha”.

4 comentários:

gauchescas disse...

Li a notícia nos jornais impressos e o que é pior vi e ouvi na tv nesta semana e me deixaram abalada com a crueldade e indiferença à vida de um semelhante.
Principalmente por comentários como este colocado por ti no final do post.
Fico imaginando quantas vezes podem ter acontecido fatos semelhantes.
Já havia aquele problema das forças de empresas de segurança particulares cumprindo missão naõ só no Iraque como em outros países.
Mas o mais grave, desta vez foi o exército legal quem cometeu a brutal ação.

André Setaro disse...

Parabéns pela constância nas atualizações do blog que, assim como vai, acaba por dar a notícia em tempo real. Mas o que valem são os comentários precisos e críticos e lúcidos.

Jonga Olivieri disse...

O exército fascista ianque conseguiu esconder direitinho, durante anos, o que realmente havia acontecido naquele dia.

Jonga Olivieri disse...

É André, agora retomei o rítmo!