sábado, 25 de outubro de 2008

Um poema

Ontem estava a me lembrar de Zeca Afonso (José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos), que foi o autor de “Grândola Vila Morena”. Uma das músicas-senha* da Revolução dos Cravos, o movimento que derrubou Marcelo Caetano e o que restava do salazarismo em 1973. Minha singela homenagem a este poeta de nossa “fala”. Recordemos...

Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade
(...)
Dentro de ti, ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
(...)
Em cada esquina um amigo
Em cada rosto igualdade
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
(...)
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada rosto igualdade
O povo é quem mais ordena
(...)
À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola a tua vontade

(*) A outra foi “E depois do adeus”, de Paulo de Carvalho, ouvida às 23h do dia 24. “Grândola”, a segunda, foi tocada no programa “Limite” da Rádio Renascença aos 20 minutos do dia 25. Foi o sinal para o arranque das tropas mais afastadas em Lisboa.

8 comentários:

gauchescas disse...

Zéca Afonso, um revolucionário português que não chegou a completar 60 anos, foi um exemplo de luta em todos os sentidos. Excelente recordação esta tua.

André Setaro disse...

O jornal "The Economist" está realizando uma votação mundial pela internet para escolher entre Obama e McCain. Interessante que Obama ganha disparado, com mais de 80%, mas na África, na maioria de seus países, quem vence é McCain. Para votar: http://www.economist.com/vote2008/index.cfm

jr disse...

Não sabia nada sobre esta música nem sobre o Zeca Afonso e sua importância para Portugal. Procurei no "You Tube" e escutei esta "Grândola Vila Morena" e a achei uma bela marcha (como a Marselhesa). Um verdadeiro hino. Muito bonita!

Jonga Olivieri disse...

Sim, Ieda, ele teve um papel importante naqueles anos de mudança em que Portugal saiu da Idade Média e adentrou a modernidade.

Jonga Olivieri disse...

Estranho isto, André. Se bem que na África tem muito branco reaça. Que alçiás aão os piores...

Jonga Olivieri disse...

"Grândola" é linda como marcha.
E tem mais, à época, dentro do contexto histórico, era emocionante escuta-la.

maria disse...

Também fui no Youtube e escutei a música que achei super-interessante.

Jonga Olivieri disse...

Uma marcha é sempre empolgante, não é mesmo?