quinta-feira, 16 de outubro de 2008

O transtorno bipolar na economia

Uma crise econômica sistêmica, como a que está a suceder, não é simples, nem pode ser alterada por um momento de euforia de mercado. E aí a origem de toda a confusão; ela não é tão somente um abalo financeiro. A recessão já se instalou na economia estadunidense, e as bolsas vão subir e descer por muito tempo nessa maré sem rumo. Veja-se o que aconteceu ontem na Bovespa, quando as cotações despencaram mais de 11%, apenas dois dias após as ações terem alcançado patamares recordes.
A forma mais próxima de compreendê-la é fazendo uma comparação com o “Transtorno Bipolar”, que vem a ser uma enfermidade caracterizada pela alternância de episódios de euforia e de depressão, com épocas de relativa normalidade nos intervalos. Em geral, os episódios se repetem em períodos menores com o passar dos anos.
Ora, a euforia resultante de medidas da burguesia ao redor do mundo para tentar frear o quadro da atual instabilidade reinante nas bolsas de valores, é bastante comparável a esta doença, teorizada inicialmente por Emil Kraepelin, que a descreveu em seu Textbook of Psychiatry, publicado em 1899.
No entanto, antes disso Karl Marx já havia previsto toda a instabilidade do sistema econômico burguês há 150 anos atrás, quando o analisou. O capitalismo, em sua superestrutura mudou muito de lá para cá, mas a sua essência estrutural continua inalterada.
Marcello Musto (1), em brilhante resumo, disse durante uma entrevista que fez ao pensador e historiador Eric Hobsbawm: “... Ao longo de sua vida, Marx foi um agudo e incansável investigador, que percebeu e analisou melhor do que ninguém em seu tempo o desenvolvimento do capitalismo em escala mundial. Ele entendeu que o nascimento de uma economia internacional globalizada era inerente ao modo capitalista de produção e previu que este processo geraria não somente o crescimento e prosperidade alardeados por políticos e teóricos liberais, mas também violentos conflitos, crises econômicas e injustiça social generalizada.”
O que assistimos hoje, senão isto? E, para um eficiente efeito comparativo, à “Síndrome do Transtorno de Bipolaridade” aplicada na ordem econômica...

(1) Musto graduou-se em Nápoles (Filosofia e Política), tendo também estudado Filosofia em Nice. Após um período de pesquisas em Amsterdam, passou a viver em Berlim, onde, com outros estudiosos está a trabalhar na nova edição “histórico-crítica das obras de Marx e Engels”.

8 comentários:

gauchescas disse...

Eu li esta entrevista do Hobsbawn. Mas tu observas cada tipo de coisa. Quando leio uma entrevista fico mais preocupada com as respostas do entrevistado.
E não é que pescastes nas perguntas um interessante texto sobre Marx relativo ao seu pensamanto e ao atual estágio do capitalismo!
E hoje as bolsa valores de São Paulo continua nos seus altos e baixos.

Jonga Olivieri disse...

A pergunta de Marcello Musto é interessante e reflete que o entrevistador também pode (e deve)ser conhecedor do assunto em pauta.
A Bovepa? Pode ser que aumente num dia, mas tudo é reflexo do "transtorno bipolar" na economia.

jr disse...

A Bolsa de Valores de Tóquio bteu hoje o seu record negativo em 20 anos. Eu até concordo que o capitalismo não tem mais saída. Mas o que o vai substituir?

Anônimo disse...

As Bolsas tem despencado todos os dias. Hoje na Ásia a coisa foi simplesmente catastrófica. É muita gente perdendo dinheiro. E muito dinheiro, podes crer.Aqui no Brasil a coisa está mais preta doq e se possa imaginar. Sei porque trabalho na área de mercado de capitais, e nunca (em mais de 10 anos) tinha visto uma situação igual. Posso gatantir que não é uma crisezinha passageira. É uma crise que não se sabe aonde vai parar.
Otávio

Jonga Olivieri disse...

Eis aí uma boa pergunta.
Hoje, existe uma discussão em torno do assunto por parte de materialistas históricos de todo o mundo.
Eu sempre recomendo a leitura de "Marxismo, modernidade, Utopia" de Michael Lowy e Daniel Bensaid, publicação da Editora Xamã.
Este livro é fundamental para apontar os prováveis caminhos a seguir.

Jonga Olivieri disse...

Calma Tavinho, calma. O capitalismo é isso aí mesmo. Ou cê acha que jogar na roleta é para ganhar sempre?
Jogo é jogo... e... guerra é guerra!

maria disse...

Essa entrevista é imperdível!
E gostei demais da teoria do transtorno bipolar aplicado à economia.

Jonga Olivieri disse...

Também acho que essa entrevista é das melhores que tive a oportunidade de ler.